ADL reforça alerta contra dengue em Taubaté

A ADL (Análise de Densidade Larvária) realizada pela Prefeitura de Taubaté em janeiro deste ano lança um novo alerta à população, com um indicador de infestação de larvas do mosquito Aedes aegypti de 4,4 pontos no IB (Índice Breteau). Em janeiro de 2015, a ADL verificada no município foi de 6,85.
Mesmo com a redução dos indicadores no comparativo do mês, o número é preocupante já que o índice de tranquilidade é 1,0 ou menos. Acima do nível de 1,5 há risco de epidemia.
Na amostragem de janeiro, a pior situação é na região central, compreendida pelos bairros Independência, Jardim das Nações, Santa Luzia, Jabuticabeira, Jardim Humaitá, Bom Conselho e Centro. A região 4, como é definida no mapeamento da prefeitura, apresentou um índice de 8,8.
A Secretaria de Saúde de Taubaté reforça a necessidade de conscientização da população, já que cabe às famílias o combate aos criadouros do mosquito responsável pela transmissão da dengue, zika e chikungunya.
Durante a ADL são coletadas amostras em imóveis escolhidos aleatoriamente em todas as regiões da cidade. Foram vistoriados cerca de 3.600 imóveis, média de 600 por área. Os resultados obtidos geram o IB, um valor numérico que define a quantidade de insetos em fase de desenvolvimento encontrados nos locais vistoriados e permite saber em quais regiões da cidade há maior risco de transmissão da dengue.
O trabalho de controle é realizado nos meses de janeiro, abril, julho e outubro. A cidade é dividida em seis áreas, onde são verificadas a existência de larvas do mosquito e os tipos de recipientes em que foram encontradas.
Desde o início do ano até hoje, 3 de fevereiro, Taubaté soma 613 notificações de casos de dengue, com 115 casos positivos autóctones, 1 caso positivo importado, 101 casos negativos e 396 aguardando exames.
A Vigilância Epidemiológica aguarda o resultado de exames de dois casos suspeitos de chikungunya. Até agora são cinco notificações de casos de zika, com um caso importado confirmado e quatro descartados.